sábado, 26 de dezembro de 2015

Serie Israel de Norte a Sul com Sergio Nedal

Essa serie esta sendo produzida para mostrar aspectos interessantes e pitorescos de Israel, sempre com meu enfoque pessoal critico e um pouco irônico, divertido e as vezes confuso com o impacto da realidade. Já são 4 os episódios no Youtube.  Curtam e repassem, obrigado!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Maracutaia, onde tudo é lindo!

Benvindo a Maracutaia. Somos o país com o maior IDH fraudulento do mundo. Aqui tudo pertence ao poder publico, ilegitimamente eleito por urnas minimamente fraudadas, e sempre foi assim. Desde que riram de Monteiro Lobato, não pelo seu racismo, mas por acreditar que o petróleo era nosso, que não se via tamanha vergonha: um pais inteiro na lama, por conta da teimosia de seus lideres e ignorância do eleitorado.
Enquanto o mundo continua a derrubar os muros, como acontece hoje entre USA e Cuba, o Brasil continua a insistir no antigo, no obsoleto, na ineficácia e ineficiência e pior, no monopólio. Desconfiei da morte de Ulisses Guimarães, depois da Assembleia Constituinte de 88, pelo fato de acreditar que as forcas ocultas no Brasil não desejam o fim dos monopólios, o fim das empresas publicas enormes e competentes, o fim do maior Estado do mundo em termos de patrimônio e empregados com 54 por cento da forca de trabalho empregados pelo Estado. Nem Stalin era tão generoso.
A classe política e os servidores públicos se tornam, como escreveu o grande jurista Ives Gandra Martins, inebriados pelo fascínio não dos cargos e dos serviço publico que é chato, mas do poder, nas possibilidades inúmeras de novas maracutaias, hoje possíveis a nível global, inclusive.
Assim como nem todo mundo acreditou na fraude da Copa da Fifa, que esculachou em casa o futebol brasileiro, não acredito que exista algum nível de consciência civica moral. E o povo brasileiro que teve casas destruídas sem indenização, para construção de estádios que vão servir de criadouro de mosquitos, o povo que não teve acesso aos caros ingressos? O show da Copa se tornou pesadelo para muitos,  a entidade esportiva ainda distribuiu ingressos para ministros, tudo para favorecer a imagem da Europa. Através de intenso bombardeio na alienante mídia, o brasileiro engole todo dia, coisas idiotas e opiniões idiotas, preocupados com a filha da cantora popozuda que virou macho, e indignados com o pessoal que todo dia fuma maconha sob a mesma arvore numa praia carioca. Careta e reacionário, o povo acreditou na baboseira dos eventos milionários, os milhões do pré-sal, em como o pais é rico e pode se dar ao luxo de roubar os cofres para manter Brasília e seu monopólio de poder.
O legado do golpe de 64 e os anos que poderiam ter sido muito mais progressistas, a falta de uma experiência socialista, de uma ditadura que impediu reformas de base e políticas que deveriam ter sido feitas 40 anos atras. Com a abertura, criou-se um esquema politico artificial, baseado no monopólio estatal, na mentalidade do poder exercido no sentido vertical, militar e imposto literalmente. Criou uma sociedade que apenas faz pagar cada vez mais tributos, paga salários abaixo da realidade mundial, numa economia globalizada; traz a miséria e ignorância para seus cidadãos, pela falta de opções e excesso de tributos sob todo tipo de mercadoria. Um pais onde o Capitalismo de estado é o verdadeiro monopólio de poder, o poder mantido a força bruta. Fascismo que alguns partidos gostariam de ter aqui, e tem. Empresas como a Petrobras, assim como todos os monopólios de coisas substituí veis, serviços, riquezas, bens de capital, empresas ineficientes e caras como o correio, sempre foram alvo da corrupção passiva e ativa. Vestir a camisa política, isso é fascismo, onde o maior corruptor é o cidadão, que se omite e corrobora com o espolio em troca de uma sensação de grandeza patrimonial nacional.
O pais esta no prejuízo, apostou numa histórica alta das ações, hoje em queda livre, de empresas que investiram em exploração e refino de oleo e outros combustiveis fosseis por questoes obvias de mercado. Tem todo seu capital atual comprometido com tecnologias e combustíveis obsoletos, danosos para o meio-ambiente, para o futuro e viabilidade do planeta. E ao que parece, guerras e o terror, incluindo a guerra fria, estão diretamente financiados e relacionados com os combustíveis e tipos de energias sujas e perigosas. Vai ser burro assim...ah, claro. Já ia esquecendo de D. João VI, e família.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Selfish, o homem foto.

Finalmente aprovado pelo Youtube, o novo filme "The Selfish Photoman". Inspirado em mim mesmo,  na vontade de conseguir entender o mundo atraves das lentes. Compreender e retratar a realidade humana, dentro da minha própria realidade.
Apenas mais um snapshot em 2K. Musica original.


sábado, 29 de novembro de 2014

Hypotermia e Calor humano

O inverno antecipado de Nova Iorque este ano, me pega desprivinido. Regulamentado, como diriam os pilotos. Estava cansado de um longo dia de vento e frio congelantes, a bordo do Cruiseboat no rio Hudson, que rendeu muitas imagens e uma excelente experiência sino-japonesa, o sushi restaurant Nanatori, em Williamsburgh. Dia lindo, cujo resultado videofotografico vocês podem ver no meu novo filminho "The Selfish Photoman" no Youtube.
Ainda passei na B&H, mais uma vez, para trocar a lente que acabava de testar no passeio e rever os amigos Hugo, Crys, Mendi, e outros tantos que nem dá pra lembrar.
Voltei para o hotel e tomei um banho quente. Parti para Heartland Brewery, a pé, a três quadras do hotel. Encontrei Sergei, produtor de cinema, meu partner e de lá tomamos umas e um taxi para uma rapida reunião na Madison avenue.
Após um dia corrido, o jantar na casa de uma grande e querida amiga, no West End, era mais que benvindo. Minha amiga tem um tremendo paladar e conhece os segredos do take away de NYC, alem dos melhores restaurantes da city, além de um incrível senso de humor judaico local. Lá pelas tantas, o cansaço bateu e gentilmente tomei o rumo do hotel, pretendendo dar uma breve caminhada Broadway abaixo, com minha Nikonzinha de filme 35mm, oportunidade imperdível. Mas o frio me impediu. Abaixo de 15 graus, parado na rua, você pode congelar.
Ou entrava em algum lugar ou tentava um taxi. Foi na esquina, quando parei para pegar um taxi, o que demorou aproximadamente toda uma eternidade. Muitos taxis, mas nenhum parava. Quando comecei a tremer, parou um carro. não dava nem pra achar a maçaneta. Consegui abrir a porta e e joguei para dentro. Já estava na fase pre-hypotermica, tremendo e com os dentes mal conseguia falar.
O taxista percebeu na hora, e isso deve ser parte do cotidiano de pegar passageiros, pinguins e outros coitados como eu. Aumenta essa porra da calefação, pelo amor de deus, aqui atrás tá toda...gritei. Muita calma, disse ele, com forte sotaque nigeriano, arrancando e aumentando a calefação. Ele só nao me deu um abraço, quando percebeu meu sotaque brasileiro, porque estava no banco da frente. Ainda bem. Salvo pelo calor humano africano, no inverno antecipado.
Na discussão que se seguiu ate o hotel, sobre futebol, perdi. Sobre política, sem a menor humildade,  o cara me disse: Lula é simpatico para o eleitor por que vem de um background humilde. Não esta comprometido com as elites. Mas foi corrompido, e citou o enriquecimento familiar dos herdeiros. Mas o melhor presidente foi FHC, afirmou. Enquanto ouvia o discurso animado do entusiasmado piloto, fui passando o cartão de plástico na maquininha que tem um display LED,  e quando o taxi para, aparecem as instruções de como efetuar o pagamento.
Nada como viver num pais moderno, mesmo congelando. Muito obrigado, disse em português, ao perceber o valor da gorjeta. Me salvou do frio, e da falsa impressão que mantinha sobre a famosa  ignorância americana em relação a países sulamericanos. Y viva el Mercosur!

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Apenas um milagre pode salvar o Brasil: reflexão sobre o tema mais atual do momento: politicos, partidos e candidaturas.

Reflexão sobre o tema mais atual do momento: politicos, partidos e candidaturas.

ilustração: Retirantes 2014©Sergio Nedal
     O sistema politico ou democracia, substitui a religião, os reis, as ditaduras, e foi a forma que os antigos corruptos encontraram para organizar a sociedade de acordo com a vontade dessa mesma classe politica. Trata-se de uma forma antiquada e obsoleta de poder, por diversas razoes, coletivas e particulares. O caráter humano sofre distorção natural, ao assumir um cargo publico. Apesar da corrupção que percebe em seu entorno e sistema, o eleito, a pessoa atrás do cargo, desaparece. Na maioria dos casos, mudou seu comportamento. Lula fez isso como poucos. Alguem já viu um politico ou juiz do supremo assumir algum erro, pedir perdão publicamente? Pasme, isso existe sim, no Japão, já vimos na Europa, nos USA, mas no Brasil?

Apesar da maioria dos indivíduos acreditar o contrario, não existe honestidade pessoal na atividade política, assim como em outras áreas onde a lisura deveria ser máxima, como no poder judiciário e no legislativo. Palhaços são eleitos, num sinal de escárnio do eleitor: entre os  mais votados surgem figuras polemicas, pastores e figuras do radio e TV. O problema esta na questão da banalização da política. Não existe mais o candidato, ou o partido que realmente represente a sociedade, por uma razão simples: não existe uma sociedade civil real no Brasil. Essa sociedade, com leis e direitos, existe apenas para uma minoria, independente de classe social. O brasileiro se tornou o povo da vantagem, do jeitinho e do voto inútil. Do administrador que rouba mas faz e é eleito por favorecer determinada classe ou parcela da sociedade que se identifica com sua figura.

Numa verdadeira democracia, séria, a justiça estaria acima dos outros poderes, dos partidos inclusive. Isso acontece em países como Israel, por exemplo. Os partidos ali, representam uma realidade do país, de sua sociedade, civil e religiosa. Num mundo globalizado e já pequeno para bilhões, o individualismo é cada vez mais necessário e tecnológico, mas permite interação com os problemas do planeta. A educação para a natureza e mercado, através de entretenimento popular,

uma boa saúde, são as únicas saída para a sociedade moderna, desde que regulados pela oferta e procura, sem o desperdício que assistimos hoje calados. O capital natural e a moeda eletrônica, assim como o domínio publico e privado, são os conceitos do futuro.

Quanto aos partidos e estrutura, a escolha de modelos apresentados por partidos, pode parecer coisa saída de filme de ficcao, como Marina Silva, ou o PT e outros indivíduos sem partido e  totalmente aleatórios. Não existe diferença entre a candidata a reeleição e o outro. Ambos representam uma proposta política que não funciona e a do PSDB é tão frágil quanto a do PT, pois representa a oligarquia e algumas famílias. Aécio não significa abertura do mercado e legalização das drogas, pelo contrario, pode ser mais reacionário e promete continuar com os programas de bolsas e espolio do caixa publico, alem do que a corrupção deve continuar, como sempre. Apenas um milagre salva o Brasil de sua própria ignorância.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Videoblogando Sampa em um dia: degradação urbana e os peões motorizados.

Dois anos sem visitar a cidade onde cresci e me criei. Como diz o ditado, o visitante num momento pode enxergar tudo o que os moradores nao veem. Triste realidade, o video traz alguns momentos e depoimentos de gente que acreditou nesse modelo industrial de civilização.  Apenas impressões rápidas de um passado-futuro que não volta.

Lula Grelhada com Arroz da Tinta