sábado, 2 de fevereiro de 2013

Os judeus e o Islã hoje

Acredito que seja importante algum tipo de esclarecimento sobre uma questão que vem ficando cada vez mais confusa e complicada de entender: os judeus e o mundo islâmico hoje. Não pretendo aprofundar e quem assim desejar dispõe de farta literatura sobre o assunto.
Nos anos 1100, a Europa e boa parte do mundo eram dominados pelo Imperio Otomano. Mas desde a morte do Profeta Maomé, eles nunca se entenderam com relação a uma linha de sucessao. Os judeus eram protegidos do Imperio, assim como os cristãos. Muitos eram obrigados a uma conversão, principalmente lideres que ameaçassem o poder do califado. Esses tinham que usar o Durban, um turbante, e ficar na porta do palácio do Califa, sendo alvo de chacota. Alguns judeus em paises como Espanha, onde existiam principes mais liberais, desenvolveram grandes afinidades culturais com os muçulmanos. Na Turquia, apesar da posição anti-Israel, a esquerda ainda se explode contra o imperialismo americano e os judeus são cidadãos.
Os xiitas iranianos que nem árabes são, com a Revolução Islamica em 81, transformaram o anti-imperialismo americano no OM numa questão nova, um novo tipo de guerra fria, onde Israel funciona como valvula de escape. O Islam não é antisemita, até por causa das semelhanças genéticas com os semitas e a cultura parecida. O problema não é religioso e sim política global. Existem judeus no Iran, e de certa forma se identificam com o regime por medo. O que esta em jogo no mundo é a liberdade.
Estamos vendo a Nova Guerra Mundial acontecendo na Siria neste momento. Xiitas contra Sunitas.
Xiitas e Sunitas contra os infiéis. E se estende para Israel.

Lula Grelhada com Arroz da Tinta