terça-feira, 15 de junho de 2010

Evangelho segundo a Internet ou Recebemos email de D'us avisando fim de validade do contrato

de: D'us, seu Chefe
 godisone@theserver.god
to: undisclosed reciepients
15/6/2010

Eu sou o teu Deus!

Queridos Humanos:

Quando me dirigi a Moisés no deserto, o Príncipe do Egito e meu imitador  favorito, percebi que além de gago, ele estava um pouco velho e triste, estressado. Na verdade, também sou assim, por essa razão ele era assim. Tal pai, tal filho. Quebrou as tábuas, e temo quando ele escreveu os termos no livro, demorou muito. Logo depois depois  esqueceu tudo ... assim, decidiram os outros mamíferos escrever novos livros, mudando minhas palavras. Como eu tinha falado, distorcem as minhas palavras no que você chamou os profetas. Sendo assim, meu contrato e minha Aliança com vocês, já era.

A verdade é que o meu desejo real neste momento é  extermina-lo da face da terra, mas há uma razão importante pela qual não posso faze-lo: você, fpd! Eu já tentei, lembra? Lembra de Noé, era o maior cara, mais que o Lula. Ele foi tão legal...e os animais, como eu poderia matar todos, sem prejuízo de Noé? Eu sou grande, mas eu não sou como um Mc Donald's, que você pode pedir e obter algum efeito ... o meu poder é tão grande através de você, que apenas um único homem, pode sobreviver e continuar a vida apesar de ir contra  minha própria vontade ...

Eu não necessito  fazer qualquer esforço para aniquilar você, meu amigo. Apenas alimenta-lo. Você mesmo vai fazer o trabalho, sem mim, mas usando meu nome em vão ... o tempo todo. Porque eu estou dentro de você, e de tudo, e não importa o que vocês chamam de religião, não posso aceitar essa fantasia desse tipo de mamífero.

Coloquei  você na terra para evoluir, você nao percebe? Fazer uma casa eterna para mim, para o animal, vegetal e mineral,  num constante processo de evolução para outros planetas, no futuro próximo!

O Boss
pergunte ao Roger,  se você dúvida!

*Aproveitando o fato de que a maioria de voces sao idiotas, isso segundo o rabino e jornalista e pai de santo Nelson Rodrigues, sei que devem estar todos atentos no computador, ferramenta que eu criei exatamente para essa hora: a Copa do Mundo online! O Evangelho segundo a Internet.

sábado, 12 de junho de 2010

Filme de terror em alto mar!

Mavi Marmara, ou o Ataque dos Pé de Chinelo, um Filme B

Depois de Tropa de Elite, vem ai, mais lixo do cinema nacional. Comandos treinados de  Israel, seminus caídos no chão e chorando diante de facas, sendo empurrados e chutados por pés de chinelo. Difícil de engolir para quem já serviu numa dessas unidades. Na minha época, acho que como não existia celular com câmera a gente podia atirar antes e perguntar depois…Cheguei a levantar a hipótese de fraude, pelas fotos, poderiam muito bem fazer parte da campanha, lembram as fotos das campanhas publicitarias da grife Benneton,  com um certo tom de deboche…mas o mesmo mau gosto!! Parece tudo posado, a produção usou modelos turcos usando uniformes parecidos com os de Israel. Os chinelos dos turcos são, bem…deixemos isso pra la. Afinal, a gente não costuma tripudiar.

Cineastas, assim como jornalistas e escritores, trabalham com fatos, acontecimentos, para poder escrever seus roteiros, livros, crônicas, etc. Assim como qualquer processo de criação artística, envolve alguma pesquisa e a analise de evidencias e outros detalhes escondidos no assunto a ser trabalhado. Criatividade é muito importante, mas o conhecimento profundo do assunto permite
um resultado bem mais próximo da realidade. Por essa razão, o filme de terror da cineasta brasileira ( que mora em NY e ninguém viu nenhum filme)  Iara Lee, neta de Bruce Lee, e autora do roteiro e sócia do Hamas na produção, não contava com a falta de apoio da Turquia que tirou a bandeira do navio antes de partir, e com a pobreza do cattering…e o que dizer da ajuda humanitária podre que a fiscalização sanitária achou no porão do navio??

A falta de vontade e o pouco conhecimento da questão palestina-israelense,  coloca Gaza como sendo um território isolado por Israel. Iara ignora o fato que a população local pode muito bem passar pelo lado do Egito, que assim como Israel, também bloqueia o território, evitando a entrada de armas. Um detalhe: se Gaza esta sitiada e não tem dinheiro quem banca o ódio do Hamas?? A produção do evento acabou ignorando ou ninguém avisou a produção e a diretora, que Israel não permitiria o acesso a Gaza de nenhum navio, nem de bote. Afinal, de terroristas e fanáticos já basta o pessoal do Hamas que vive lá.

Acho que foi com uma ponta de inveja que Silvio Tendler, preterido no filme sobre a vida de Lula,  o documentarista de JK, conivente com a miséria que reina na Faixa de Gaza do Rio, escreveu sua carta aberta ao governo de Israel. Queria ele ter tomado mais uma verba a fundo perdido da cultura, e feito o épico com Iara Lee: nossos avos enterrados em cova rasa em Auschwitz, se viram na tumba de vergonha!! Com cineastas incompetentes como esses, a imagem de Israel fica mais uma vez prejudicada, ou de vez!

O bispo Pedir Mais Cedo bem que podia dar uma força e fazer um longa com Chuck Norris, sobre como evitar a divisão de Jerusalem…eu dirijo essa produção, pelo menos conheço ambos os  lados do problema, e ainda por cima sei ler um mapa, onde consigo ver no Oriente Medio, um pequeno pais democratico cercado por terroristas por todos os lados.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Uma confusão necessária

Uma confusão necessária?

por Sergio Nedal Riss

Em 98 participei de um seminário e com uma delegação do Meretz fizemos uma visita a Gaza. Ainda "governava" Arafat e o Fatah era nosso anfitrião. Para um ex-combatente do IDF, estar em Gaza escoltado por ex-terroristas não era exatamente uma situação confortável. Mesmo assim, fomos muito bem recebidos, apesar de alguns momentos de apreensão durante a visita, no momento que nosso ônibus cruzava o Hamastan…o território do Hamas na época se resumia a algumas ruas do centro de Rafiah. Mesmo assim, apesar de pequeno numericamente, sua afiliação ao Iran, e aos movimentos islâmicos, transformou Gaza em reduto do terror. Vejam como a ausência de uma liderança autentica no povo palestino, o esta levando a aceitar o terror islâmico como plataforma popular. Não se trata mais de ser otimista, de esquerda ou de direita. Trata-se de enxergar a realidade.

O atual governo do Likud de  Bibi, conseguiu colocar mais uma vez, a opinião publica mundial contra Israel. E isso significa termos mais uma oportunidade para explicar Israel para o mundo. Mesmo que não gostem, ao menos nos respeitem. Mesmo ao custo de perder a amizade falsa com Turquia. O prejuízo será grande mas muitos israelenses e judeus devem agora evitar a Turquia e seus produtos. Apesar da enorme popularidade interna, em torno de 99% de aprovação, a cobrança da imprensa e da opinião publica mundial pode derrubar o ministro Barak. Se houve erro estratégico, como foi a abordagem ao navio, a falta de informação sobre o que aguardava os comandos a bordo dos navios, e se estes realmente apresentavam algum perigo, tudo isso não importa mais agora.

O que sim importa, e isso deveria ficar claro para todo o mundo: Israel esta em guerra com o Hamas, assim como o resto do mundo civilizado não pode aceitar termos e negociar com terroristas. Israel se retirou de Gaza e não tem interesse em controlar seu território. Não existe cerco militar a Gaza num nível que  justifique qualquer ação humanitária, se assim fosse a ONU teria determinado sanções contra Israel, os próprios cidadãos de Gaza estariam repudiando o Hamas. Eles recebem água e energia elétrica, alem de alimentos e remédios em quantidade. No entanto, tal repudio de  habitantes por seus captores do Hamas, não acontece. O que sim existe é o domínio de terroristas em Gaza, com apoio da população, do Islam e suas irmandades. Sao milhões de radicais que se propõe a destruir Israel, e mantém reféns soldados como Guilad Shalit, sem dar oportunidade de receber uma visita da Cruz Vermelha. Gaza e o Hamas ainda estão em guerra, e não demonstraram em momento algum intenção de reconhecer o direito de existência de Israel. Pelo contrario.

Por essa razão, o que deveria mudar seria a atitude e a proximidade como esta sendo negociada a paz com Abu Mazen e todos os outros fatores da região. Impossível para Israel sequer pensar em se aproximar do Iran e dos financistas do terror internacional. Todos aqueles que de alguma forma tem contato com determinados fatores do terror e seus organizadores devem ser tratados com terroristas, inclusive qualquer tipo de rally deveria ser visto com desconfiança. Afinal, não seria nada difícil para alguns militantes radicais levar centenas de ativistas convocados junto a organismos ligados ao pacifismo, sequestra-los, ameaçar explodir os navios, ou algum plano macabro para tirar a vida de inocentes e culpar Israel, como fizeram nas guerras do Líbano e Gaza, com a tática de minar escolas e usar escudos inocentes.

Hamas não representa o povo palestino e Gaza é um problema a ser resolvido por esse mesmo povo e seus representantes políticos. Israel deve iniciar um trabalho serio junto a população árabe, os palestinos em especial, no sentido de aumentar o intercâmbio com todos os fatores mais moderados da sociedade, a fim de impedir que todo o povo palestino se torne refém do radicalismo islâmico e seu terror. O mundo não pode aceitar Hamas, cujo nome já diz, Ódio, não pode ser  parceiro da PAZ.  Jamais!!

Lula Grelhada com Arroz da Tinta