sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Um exemplo de poluição e destruição: do Imbuí, Teresopolis, para o mundo!


Que tal olhar para nossas mazelas? Temos 24% da população de Teresopolis, RJ, e outros tantos municípios brasileiros, trabalhando em subemprego e vivem em favelas. Mas tem carros e motos, e usam produtos não degradáveis e jogam seu esgoto em natural pela janela e o lixo em qualquer lugar. A frota é antiga e comum ver nos municípios do interior, veículos e caminhões soltando fumaça, fabricas clandestinas de carvão, queimadas para fazer pastos e plantar soja, ou cana. Para fazer combustível...

Se o nível de emissões de gases, e de poluição dos rios fosse critério para realização de eventos ou para classificação nas copas do mundo, o Brasil, certamente estaria de fora.

A participação do Brasil, em tragédias como o terremoto no Haiti, assim como o ufanismo lulático, servem para desviar a atenção da opinião publica de nossas próprias e serias mazelas. Na verdade ajudamos a causar esse tipo de terremoto, e sabemos cientificamente a causa: entupimento das fendas abissais. Ao contaminar os rios, contaminamos o solo e o mar. As fendas tectonicas localizadas no fundo do mar, entopem mais rapidamente, o que causa uma erupção vulcânica ou um terremoto, como o que vimos na fenda do Haiti.

O meio ambiente é um bem comum a todos os povos do mundo. Quanto mais rico e consumidor for o mercado, ou seja, pior a situação. E num pais de ignorantes, enganados pela propaganda e pela imagem de sucesso, onde ter um carro é poder jogar o lixo pela janela, parar na rua para mijar, subir nas calçadas, soltar fumaça e dirigir bêbado, entre outras diversões que um carro proporcionar.

A industria automobilística assim como os produtores de petróleo, deveriam ser obrigados a arcar com as conseqüências do impacto no meio ambiente e na saúde. O preço da gasolina na bomba deve custear a saúde também. Ao comprar um carro, deveria levar um selo enorme, "este veiculo pode causar danos a saúde".

Devemos exigir isso, pelos milhares de mortos por ano, os números são alarmantes.
Vamos sucumbir antes que o aquecimento global possa ser revertido, não pelo aquecimento, mas sim pelo esgotamento dos recursos.

Ao invés de planejar o crescimento econômico como se a riqueza fosse uma necessidade e não apenas um meio, como se a educação fosse apenas um meio para conseguir dinheiro para comprar um 4X4 a diesel, blindado, e cultura servisse apenas para preservar tradições e não para ser usada como conhecimento e ferramenta.

Esta na hora de investirmos na saúde do meio ambiente e da sociedade global, através de melhorias na infra estrutura, com cidades planejadas, com transporte, desburocratização e descentralização real do poder, o fim do sistema capitalista como gerador de miseria. Eliminar os fatores que geram o travamento do sistema, como estamos vendo acontecer, como a espuma fétida na foto da antiga e linda Cascata do Imbui. Vemos e nada podemos fazer.
Somos apenas Imbecis.
Confira o resto do passeio em Tere:
http://picasaweb.google.com/snriss/PasseioEmTereJaneiro2009?feat=directlink

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Desastre Climatico ou Plano Divino?

Comecei a ler o livro escrito por um cientista, que realmente desconhecia, Richard Dawkins. Deus, Um Delirio.
Ainda estou no comeco do livro, e pode ser que nao termine, mas fiquei intrigado com uma questao colocada nesse trabalho: vivemos num delirio coletivo e individual, ou esta acontecendo alguma coisa, que pode ser revertida com uma mudança radical na visao do que seria essa tal fé do Homem.
Senti que existe uma visao totalmente errada com relacao ao que pensam os sabios Z'L sobre a Unicidade de Hashem, o Kadosh Baruch Huh, e sua Luz Infinita.
As religioes nao comecaram com o judaismo, assim como o Homem nao comecou com Adam. Adam foi o primeiro Homo Sapiens, a Torah foi a evolucao do pensamento humano.
Como assim?
Ruach Hakodesh. Ninguem percebe, nao sao milagres, mas esta em toda parte.
Antes de mais nada, nenhum codex, ou sistema de leis se compara a Torah de Moises.
Quando a Torah se refere a D'us, ela comeca se referindo ao El, ou Elokim. Depois passa a ser o Nome. Hashem, com o mesmo valor numerico que Moshe...Ou seja o Homem D'us, e D'us Homem.
A guematria (calculo do valor numerico das letras) do nome Elokim, e o mesmo que Teva, ou seja Natureza. A mae natureza, a Shechinah.
Todas as religioes, querem salvar os homens. Na Torah, que foi a unica revelacao num nivel realmente insuperavel em seu texto, na riqueza da abordagem dos problemas dos povos, trazendo um exemplo de comportamento, ou de falta dele, pode parecer cruel para uns e docil para outros, mas o cumprimento de seus mandamentos refinam o Ser.
Assim como a Natureza pode parecer cruel, com suas tempestades, terremotos, e maravilhosa com sua Criação, da mesma forma o pai educa seu filho, rigido e bondoso.
A religiao nao pode ser pessoal. D'us nao faz sentido se nao for uma solucao para o problema de todo o Planeta, se nao for usado para congregar e trazer o Templo, fazer uma morada, como esta escrito, para trazer uma paz verdadeira, com menos violencia, destruicao e caos. Nao acreditar no Nome, que eh Nada e Tudo, significa, her Dawkins, nao acreditar em sua propria existencia.
Vale a pena dar uma olhada no mapa do google e ver que a calota polar do norte, o Polo Norte, já nao existe mais...Assim como Ele expulsou nosso povo de Israel, por seu comportamento errado, assim acontecera com a Humanidade na Terra se não houver alguma mudanca no comportamento humano. Temos que mudar, transformar o mal em bem.

Lula Grelhada com Arroz da Tinta