quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Parece a mesma coisa...

Foto: favela no litoral de SP, bombardeada pela ignorancia...


Se engana aquele que  pensa que entende a cabeça de um doutrinado islâmico. Seria o mesmo que imaginar que os moradores das comunidades carentes não apóiam o crime organizado. Os islâmicos do mundo todo,  nem todos são terroristas, os favelados nem todos sao traficantes, mas todos eles são os que bancam esses crime, com suas pequenas milhões de contribuições, obviamente com gente que tem poder e  também ajuda, bancos, advogados, interesseiros de plantão. Se tentarmos mostrar o Islão como paz e amor, ou uma comunidade no morro como um exemplo para a paz...errado!!! Sua cartilha já esta escrita, o caos e a violência contra os infiéis são atributos dessa massa, prescritos nos livros e nas regras do crime. 

A mentalidade desses povos esta corroída pela miséria e pelo ódio do diferente, o sentimento de daqueles que parecem tao bem sucedidos em seus carrões blindados. Sao muitas semelhanças, a miséria, o descaso e a ausência dos direitos humanos e cidadania, a violência contra mulheres e  filhos, o doutrinamento para a violência e a vingança.  E um problema cultural.

Sem pessimismo, se você olhar as manchetes percebe que aqui estamos em guerra semelhante. O terror e as armas, drogas andam juntos e crescem mais a cada vez e  aumenta pela falta de liberdade verdadeira em todos os sentidos. A religião e o crime tem aspectos ideológicos muito parecidos com a política , o trafico de influencia, são evolução da manipulação das massas através da fé que chamamos de religião. 

Baruch Espinoza, um dos grandes pensadores de todos os tempos, um judeu excomungado pelo seu povo, em sua obra  Tratado Filosófico Político explica essa teoria:a política nada mais e que uma evolução da religião antiga e da filosofia. Um exemplo: se pensar de maneira fria e calculista, os árabes, palestinos, turcos etc. são como os miseráveis e seus esquemas com suas milícias e policiais corruptos, governos corruptos, o mesmo cenário q no fundo também esta ligado ao submundo das armas, contra um poder mundial estabelecido de cristãos e ateus caretas q nao admitem nao ter capacidade para compreender e resolver o problema, a não ser com armas e mais violência. Reconhecer q suas leis e sua distribuição de renda estão totalmente errados, que deveríamos tentar criar uma forma de aproximar as pessoas como seres humanos, nao como gado, pois assim  impera a violência. 

Se o monopólio do poder ficar na mão de estados que oprimem o cidadão seja através das blitz e da distribuição da miséria, assim estaremos todos em alguns anos dominados pelo ódio. A vitoria que o Islão esta cantando foi a de ter nos atingido psicologicamente e fisicamente como já percebemos, esta em nossa fraqueza como judeus vivendo no mundo dos povos, quando percebemos que nossa missão de mostrar a luz falhou, e agora domina a escuridão. O medo tomou conta do mundo. 

Se como um todo não conseguimos mudar nada, assim eles se multiplicam e nos isolam, como já estamos isolados cada vez mais dentro das grades, muros e cercas do condomínio ou de Israel. Os judeus apenas queriam ter seu pais, depois de tanto tempo no exílio, os moradores das cidades como Rio e Sao Paulo, só querem tranquilidade para poder criar seus filhos. Tanto faz. Ignorando e separando os pobres, criamos as favelas, isolando os árabes e nao nos integrando ao seu mundo de algum modo, criamos o terror.

Será q o fim da violência vai depender de bombardear as favelas, prender todos os maconheiros do mundo e os islâmicos idem, ou podemos tentar entender e aceitar a doença da droga e da miséria, o islamismo e as  religiões, como elas sao, apenas uma fe cega numa ilusão, algo muito satisfatório se individual, mas extremamente perigoso se usado abusivamente, na mesma onda da droga. 

Chega de medo. Legalizar e fim da armas de guerra e de fogo!! JA!!

Sergio Nedal Riss

Nenhum comentário:

Lula Grelhada com Arroz da Tinta